Total de visualizações de página

terça-feira, 19 de julho de 2011

MINHA NUDEZ

Faltam dois dias...
Faltam dois...
Faltam dias...
Faltam...meu dia a dois.
Estou anciosa, acordo transpirando...dormi nua pois tudo me incomodava.
O sono cortado, os pensamentos misturados, os desejos não realizados.
Estou puro nervosos, olho para meu corpo nu sobre a imensidão desta cama e busco me acalmar.
Coloco uma música para ouvir e procuro relaxar, já se faz dia.
O sol que brilha lá fora é o mesmo sol que ilumina a minha vida, o meu futuro.
Procuro ver as coisas do lado de fora, é uma visão que sempre me colocou em condição favoravel.
Aliso vagarosamente meu corpo, para que ele se  sinta seguro.
Musica, carinho, um sol lá fora... e de repente me sinto mais segura.
Caminho para frente do meu espelho...adoro me ver nua. Pois me vejo como sou...só eu me conheço a fundo e por este motivo gosto de me olhar.
Após esta contemplação dirigo-me ao banho.
Mergulho de cabeça sob meu chuveiro...preciso sentir a agua me acalmar.
Depois sentada em minha cadeira distribuo meus cremes pelo meu corpo.
Uma roupa leve precisa cobrir meus contornos.
Visto uma pantalona de malha marron, uma camiseta branca , sapatilhas de treliça.
Cabelos soltos, maquiagem suave, meu perfume de jasmim...minha tornozeleira de algema de diamantess (me fazem lembrar você).
E de repente sento em minha cama e tenho vontade de te amar.
Me levanto rapidamente....Lôba, você precisa cuidar da vida.
Faltam dois dias...


ROSAS BRANCAS!


...Ah, o amor, essa raposa. Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma  equação matemática:
"eu linda + você inteligente = dois apaixonados."
Não funciona assim. Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não-fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo à porta.

O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão.

O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar. Costuma ser despertado mais pelas flechas do cupido que por uma ficha limpa.

Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referências.

Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca.

Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.

Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC.

Ama-se justamente pelo que o amor tem de indefinível. Honestos existem aos milhares, generosos tem às pencas, bons motoristas e bons pais de família, tá assim, ó.

Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é.

Nenhum comentário:

Postar um comentário