Total de visualizações de página

domingo, 25 de dezembro de 2011

JOSE CID NA CABANA JUNTO A PRAIA

A AREIA ORA FOFA ORA MOLHADA MARCAVA O NOSSO RITMO


O dia amanheceu lindo...o sol brilhava com exclusividade.
As ondas do mar lambiam a areia em forma de caricia.
Olho para o canavial e um convite me faz.

Olho novamente para a praia e vejo meu cavalo branco de crinas longas e negras.
Eu no meu vestido branco e sandalias douradas amarradas nas pernas , desço.

Me aproximo dele, o vento desmancha meus cabelos enquanto ele me observa.
Chego mansa...o  acaricio as narinas, beijo seu dorso e depois o monto.
Ele sereno  me recebe, e em passos lentos respiração calma busca a direção que desejo seguir.
Vamos juntos numa doce e suave cavalgada, por um tempo que  o relógio não conta.
A areia ora fofa ,ora molhada marcava o nosso ritmo.

Eu e ele.
Eu e ele... e o sol, e o vento , e o mar , e o canavial...
Nós dois ali, juntos desfrutando de um prazer que só nosso..
As gaivotas são música aos nossos ouvidos.
O cheiro do canavial  se misturava  ao cheiro do nosso suor que despontava em nosso corpo junto com o prazer que se estampa em meu rosto.

O vento ,o sol, o suor...meu cabelo batendo no rosto, uma sensação única.

Minha pele queima de calor  e prazer , a cavalgada é longa , a vista é  maravilhosa, mas a exaustão nos toma.

Finalmente chegamos a uma cabana onde nossos corpos puderam descansar.

Uma longa manhã, a dois.
Eu e meu cavalo.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Mama Cass - Dream A Little Dream Of Me (with lyrics)

NATAL EM ATENAS



Vespera de Natal!
Meu primeiro ano sozinha longe de tudo e de todos.
Arrumo minhas coisas e parto para minha ilha.
Levo comigo o lobinho e a empregada.
Chegamos bem cedinho e a praia esta calma, tranquila...o sol de primeiro dia de verão anuncia que muito calor nos aguarda.
Peço para que uma bela mesa seja exposta na praia para a noite da ceia.
A decoração em prata e dourado dá o tom de festa, tochas para iluminação, cadeiras longas, almofadas,toalhas,
uma bela rede estrategicamente colocada.
Assim o dia passou e eu vendo tudo sendo carinhosamente preparado.
O lobinho corria pela praia feliz brincando com tudo que via pela frente, e numa euforia se molhava com o vai e vem das ondas.

Subi para o meu quarto...fui me preparar pois queria estar a altura dos preparativos.
Tomei meu banho, me lambuzei em meus cremes...repousei um pouco e finalmente fui me vestir.

Um vestido longo esvoaçante de crepe de seda negro, alças finas, costas nuas. O cabelo prendi num coque alto frouxo. Minha maquiagem carregada nos olhos, batom coral roseo, brincos de ouro amarelo em formato do infinito. Meu perfume 212 VIP. As sandálias gladiadoras douradas.

Minhas unhas vermelhas cor de paixão intensa.

Já são 21 horas quando desço para a praia, a mesa farta me dá a sensação de  que estou para receber visitas.
Mas não...as tochas são acessas, o garçom me traz o champagne.
O céu está lindo, as estrelas fazem composição com as bolas douradas e prateadas espalhadas por todo canto. Laura Fygi  canta para mim - Dream a little dream.

E entre o som das ondas do mar  e da musica eu viajo em meus pensamentos.

Como uma carpideira de Atenas sonho  o meu sonho de além mar.

Sentada em  minha rede olhando para o infinito, procuro um rosto.
A minha taça sempre servida, as bandejas vindo ao meu encontro, a musica tocando e um sonho dentro do peito...o de um dia ver meu amado desembarcando e vindo até a mim.

Neste dia como uma Helena estarei ao luar  de abraços abertos.

E do recato dos longos anos de espera irei me libertar, para em seus braços poder  te amar.

E esta ceia solitaria me fez  feliz...por poder sonhar em um dia poder te encontrar.

E uma lambida suave nos meus pés me fez despertar...o lobinho estava a me chamar.

domingo, 18 de dezembro de 2011

Per Amore - Zizi Possi (Tradução)



POR AMOR

VOCÊ JÁ FEZ ALGO SOMENTE POR AMOR?

JÁ DESAFIO O VENTO E GRITOU?

JÁ CORREU ATÉ FICAR SEM FOLÊGO?

POR AMOR EU E AS MINHAS MANIAS....

PER AMORE

Buona giornata caro il mio diario,


Hoje acordo com a musica de Zizzi Possi me embalando.
Minha cama de lençois brancos , travesseiros grandes e macios.
Minha camisola de seda branca sobre  um corpo bronzeado ,talhado ,desenhado pelo tempo.

Hoje é domingo e ainda é muito cedo, acordo e vejo os primeiros raios de sol que entram ainda preguiçosos pela varanda do meu quarto.
Me levanto e caminho até o jardim que me trás um ar tão fresquinho.
E entre as flores e folhagens com os pés descalços paro em oração.


Quanto tempo não falo com Deus?

"Olhai os lírios do campo: não trabalham nem fiam. E eu vos digo que nem Salomão com toda sua glória se vestiu como um deles".

Sim...um dia especial se anuncia...
fico ali meditando sobre minha vida e depois de um tempo resolvo voltar para o quarto, tomar meu banho e
dar inicio ao meu lindo dia.
Um banho longo e demorado com meus cremes e shampoos.
Meu espelho e minha musica que continua dar ritmo ao meu dia - Per amore - um vestido de malha fria azul celeste um chinelo prateado , um colar de turquesa que trouxe da india. cabelo preso num rabo de cavalo.
Meu perfume 212 VIP - mesmo em casa gosto de estar perfumada.

Aumento o som  e vou pra cozinha onde meus amigos me esperam
a empregada hoje  me serviu um suco de mamão com laranja e croissants de peito de peru, um sorriso estampado no rosto que parecia estar em festa.
Meu lobinho brincava com seus brinquedos no jardim e invandiu a sala quando me viu...parecia que não me via a anos .

Conversei enquanto tomava meu desjejum e depois fui para a sala.
Meu tapete persa estava tão macio, minha sala tão cheia de luz, a musica preenchia de paz o meu recanto.
Minha mesa da entrada da sala ostentava um vaso de cristal  Bacarat onde minhas rosas se exibiam.

Rosas vermelhas alimentam a minha esperança.

Deixo meus chinelos num canto e caminho sobre meu tapete até a mesa onde se encontra o bilhete.
A frase:

Quero voar até junto a ti!

E assim quando olho para a vidraça da sala vejo um lindo e pequenino  beijo flor ....e num sorriso eu respondo.
Pode entrar!

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

BEIJOS DOCES

Bom dia meu diario,
Dois sentimentos habitam em meu peito...

O bom
e o ruim

O bom me aquece, me alimenta, me alegra.
O ruim me perturba, me machuca, me magoa.

O bom me faz sonhar.
O ruim me faz querer dormir e não acordar.

Meu quarto me serve de abrigo.
Hoje eu não quero sair...preciso buscar no aconchego a luz do bem.
O bem que me fará vencer esta luta.

Minha camisola branca longa de seda sobre a pele balança de um lado pro outro enquanto  caminho lentamente.

Uma nostalgia me invade!
E em meu pensamento só vem a  lembrança do veneno que consumi .que me corroeu e que quase me destruiu.

A visão do fundo, a imagem do negror...
A lembrança da dor  ainda me assusta.

Sento-me  encolhida num canto do quarto me encolho e abraço minhas pernas tentando me proteger das lembranças ruins.

Busco minhas forças no fundo das minhas entranhas .
Entranhas  estas onde o mau se alojou e de onde precisou ser arrancado com violencia  para dar lugar ao bem que esperava pacientimente pela sua hora.

Preciso saber sobreviver preciso reaprender a viver...
Viver o bem, viver em paz, amar em  paz.

Poder ver o brilho do sol no olhar mesmo de olhos fechados.
Acreditar novamente no amor.

Poder abraçar , beijar ,me entregar com paixão e confiança
a este novo que me acena.

Lágrimas de medo e alegria se misturam e me confundem.

De repente batida na porta do quarto me assusta ,
 mas ao mesmo tempo vem como um socorro,
me tirando do vazio em que mergulhava.

Mando entrar e quando a porta se abre como furacão meu quarto é invadido pelo  lobinho, que corre e se atira em cima de mim
me mordendo , me lambendo como que soubesse que eu estava ali precisando de proteção e carinho.

Minha empregada me sorri e diz que minhas rosas já chegaram...e que eu deveria tomar meu banho e ir ve-la.
E me dando a mão me ajudou a me levantar e me abraçando me conduziu ao banho.
Enquanto a agua me lavava podia sentir o cheiro do meu café da manhã.
Em frente ao espelho mas com o olhar baixo me vesti...
Um vestido longo de algodão branco, chinelos de couro, cabelo preso num coque...a lembrança do perfume de jasmim.

Caminho até a sala e vejo...
Minhas rosas vermelhas!

O bilhete:- BEIJOS DOCES

E assim meu coração se aquece, e faz brotar em meus labios o sorriso haviam me roubado.


terça-feira, 13 de dezembro de 2011

ADORO-TE



Meu diário...
Meus olhos ainda se mantem fechados na cama, mas meu coração pulsa como o de uma criança em noite de Natal.

O cheiro da rosa vermelha ainda está nos meus pulmões...que se enxem de vontade.
De vontade de gritar bem baixo...sussurrar em seus ouvidos.


Meu coração não cabe dentro do peito...
Abro meus olhos e um sorriso estampa em minha face.

Me sinto um passaro...
Um passaro que não vê mais as grades , somente a beleza da vida.
Sim liberto poderei voar, voar como um anjo, leve como uma pluma.
E como uma criança pulo da cama.
Tenho pressa...
Preciso viver tudo isto.

Hoje eu retiro a minha camisola  de seda verde e a coloco sobre a cama.
Um cuidado com ela hoje eu tive...pois estou vendo vida nas minusculas coisas.

Caminho para frente  do meu espelho...com meu corpo nu me apresento.

E vejo!
Vejo as cicatrizes, uma por uma.
A vida não foi madrinha...
Mas de uma coisa fico certa ,aprendi com cada uma delas.

Sou hoje uma loba, forte , determinada, ciente dos meus desejos e objetivos.

Mas que agora...neste exato instante , sinto-me como uma criança.
Rendida ao sentimento que me invade.

E as cicatrizes....ah as cicatrizes são como as cores do arco iris.
Enfeitam a minha vida.

Corro pra o meu banho, meus sais, meus cremes, minhas velas...tudo me esperam para me enxer de carinho.

Meu closet insiste hoje é dia de uma pantalona cor de rosa (cor do amor) uma  bolsa e sandalia verde cabelos soltos,
maquiagem leve. meu perfume 212 no ar...e lá vou eu.

Passando antes pelos meus fieis escudeiros, beijo nos dois e corro pra sala.

Minhas rosas...novamente vermelhas.
No cartão:- ADORO-TE.

Pronto. era o que faltava para meu coração transbordar de alegria.
O amor está no ar!

Feliz vou para o shopping, hoje eu quero me arrumar, me enfeitar.
Vou passar o dia por lá.

Beijos fui ser feliz...não tenho hora pra voltar!

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

SEIOS PONTO DE PARTIDA ...

Olá meu diario,

Hoje eu tenho pressa...
Pressa de viver...
Pressa de que o tempo passe de pressa...

Meu amanhecer veio com as luz do sol batendo em minha vidraça, e os passaros anunciando mais um dia.
Me levantei da minha deliciosa cama, deitei minha camisola ao chão...e me beijei.

Sim...a quanto tempo não sentia meu proprio toque.
Um leve levantar nos cabelos, descendo uma caricia pelo pescoço...
toco então meus seios...
e me aqueço... e não paro...
caminho enebriada para o banho que me cobre quente , leve.
Saio dali  apaixonada por mim mesma.
Meus cremes que lambem minha pele me ruborizam.
E então meu espelho me chama...com seu poder de fascinio me atrai.

E eu pergunto a ele o que devo vestir.
Olho para o meu closet e meu vestido vermelho cereja   crepe de algodão, saia longa e rodada, com uma fenda nas costas da  blusa refletem toda a minha sensualidade.
sandalia rasteira dourada e um a sacola nude. O cabelo preso num rabo de cavalo.
Brincos e muitas pulseiras de ouro. a maquiagem leve e um batom coral.
Borrifo meu perfume no ar...212 é a minha marca.

Pego as chaves do carro e saio...
na porta do quarto meu lobinho me espera.
Feliz me acompanha até a cozinha onde minha doce empregada já tem pronto meu suco de abacaxi com hortelã e ovos com bacon.

Com um sorriso nos olhos ela me diz...corra até a sala e veja o que tem pra senhora.

Lá estão elas....minhas rosas vermelhas voltaram a chegar.

No cartão uma frase:-


" Seios ponto de partida para vida
                                  Seios ponto de partida para o amor.."



Não está assinado, mas é o nome da campanha que estou criando, para amamentação materna.

Sorri...pois via que mais uma armadilha vinha sendo preparada pelo destino.

Sim...sorri pois meu coração estava mesmo precisando de um aquecimento.
E nada como uma armadilha no meu da floresta para nos deixar com o institno aguçado.

Beijei meu lobinho e sai...

O trabalho me espera!
Quanto as rosas...que venham, serão sempre bem vindas!

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Whitney Houston - All The Man That I Need

CHUVA QUENTE


Amanheceu chovendo...
A vontade de permancer na cama entre os meus lençois e travesseiros é grande.
Acaricio meu corpo sensivel a uma onda de desejo que me invade.
Meu coração acelera e minha pele se arrepia.

Chove lá fora...
E o barulho da agua nas folhas funcionam como musica em meus ouvidos.
Minha camisola desliza por sobre a minha pele .

E a chuva não para...
Um desejo de abrir a porta e mergulhar nesta chuva é crescente.
Crescente é o calor que me invade.

A chuva é forte...
E seus pingos grossos e pesados me convidam a ter com ela.
Minha cama me abraça e se mostra protetora , quente ,macia , mas...
A chuva é sedutora...
Sensual, sexual...

E me convida:- Venha, venha, venha!

Rendasse a minha força.
Rendasse a meu poder.
Venha que te cubrirei com meus pingos, fortes e quentes.
Venha que te deixarei toda molhada, molhada no prazer de 
sentir   meu toque em sua pele, em seu corpo.

A chuva está lá fora... e eu aqui,  sedenta de ter com ela.

Num gesto subito me levanto,
 não posso mais ouvir a cama protetora.

Eu quero me  entregar  aos braços da chuva que cai  lá fora!

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

La vie en rose - Louis Armstrong

UMA AMARGA VIAGEM MAS UM DOCE REGRESSO

Então queres mesmo saber por onde andei querido?
Queres que eu te revele minha ausencia?
Queres que eu te diga o que fiz quando não estive por aqui?
Fiz uma grande viagem!
Fui longe ...
fui fundo...
fui além das minhas forças.

Não, não fui acompanhada .
Fui sozinha, SOZINHA!

Para um lugar onde o branco da neve se confundia
com o frio da solidão.
Viajei...por longos e interminaveis dias.
Para um lugar onde não havia estrada .

Sim...eu te conto!
Cheguei até lá...mas  não via como voltar.

Mas a vida tem suas razões que a propria razão desconhece e assim...
Com o sangue que jorrava do meu coração consegui ver as  marcar que formaram  uma estrada de volta.
Logo o meu coração...acredite, que pensei em abandona-lo ou ser abandonada por ele.

Foi ele que me trouxe de volta.
E cá estou eu...
Calma e serena com este mesmo coração ainda se convalecendo mas  recebendo o devido tratamento.

Agora sim totalmente com as garras de fora.
Selvagens, animal que sou...
Pronta para viver e encarar a selva amiga mas ciente e consciente que ela  também e  traiçoeira...

Com a força da loba que sou!

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Diana Krall - Walk On By

COMEMORANDO O RETORNO DA LÔBA - 212 VIP CH

BOM DIA!
Bom diaaaaaaaaaaa...assim começo a pensar ainda com meus olhos fechados ao amanhecer em minha cama.

Entre meus lençois brancos de puro algodão e meus travesseiros espalhados mostram uma noite de puro sonho.
Ainda com os olhos fechados estendo meu braço e ligo minha música - Diana Krall me desperta.
Olho para a varanda e vejo o sol, as arvores, os passaros , as flores....ai as flores, seu perfume invadem meu quarto.

Este cheiro é  excitante!

Minha camisola vermelha desenha e toca minha pele com a suavidade de um carinho.
E assim sendo a deixo cair mansamente para sentir, sentir todo o arrepio que ela provoca.
Meu corpo nu caminha pelo quarto e o piano de  Diana me enebria.

Meus cabelos caidos no ombro balançam e o meu espelho registra a minha imagem.

Um banho...um banho é o que preciso. Sentir a agua lambendo o meu corpo me limpando, me purificando.
Minha esponja roça deliciosamante minha pele parte por parte renovando-me.
Minha toalha branca me envolve carinhosamente e o colo da minha poltrona me recebe.

Eu me amo...eis a minha oração matinal.

Eu me amo, da cabeça aos pés.
Eu me amo de dentro para fora e de fora para dentro.
O meu amor é intenso, é fogo, é vulcão!

Meu closet se abre a minha frente e minhas roupas se apresentam...
Qual é a minha inspiração para hoje?
Minha cor hoje é o verde...
simbolo do novo, sinal de esperança, lembrança da minha doce selva , do cheiro de mato.
Meu vestido de crepe de seda da Gucci, acinturado com pequenas e insinuantes fedas tem de arremate um fino cinto de couro marron. Uma sandália de tiras , argolas de ouro. Maquiagem leve e de unhas pintas

Vou mudar meu perfume...212 VIP - CH.  Transformação!

A cada dia renasço...a cada momento retorno...assim aprendi com a vida.
Não importa o tombo, o que nos faz diferente é o momento do saber se elevantar.
E eu... estou mais forte.
Meu corpo sinaliza cada ressurgimento meu...

É como se pegasse uma fotografia do antes e depois.
Pode olhar...remoço a cada lição, estou mais jovem, mais fresca, mais leve.

Sim...meus cabelos continuam a crescer e é solto que eles vão aparecer.

O que não muda...minha empregada com meu delicioso suco de abacaxi, meus ovos com bacon.
Meu  lindo lobinho a lamber minhas mãos.
Meu sorriso no rosto e minha vida de puro prazer, prazer de viver.
A chave do carro nas mãos...Diana ainda cantando pra mim, vou a rua.
Hoje quero flores, vinho e um delicioso jantar.

Comemorando o retorno da Lôba!
Minhas garras estão afiadissimas e eu cheia de amor pra dar.
BOA NOITE!

PREMIO MEDALHA DE OURO A QUALIDADE BRASIL 2011 - ESCRITORA.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

LOVE ME WITH ALL YOUR HEART

UM VESTIDO UMA LAREIRA E DOIS CORPOS


Era uma vez...
Um conto de fadas!
Um conto onde as fadas com suas varinhas de condão conduziam nossos sonhos,tornando-os realidade!

E assim uma lôba se torna uma mulher sonhadora...onde e quando sonhar é sinonimo de   ser feliz.

Um dia lindo se passa e radiante aguardo pela bela noite da promessa.

Ao pé da lareira , lá está ele... o vestido de festa .

Ele me aguarda cheio de promessas, promessas de uma noite ao pé de uma lareira.

Uma noite regada a uma taça de vinho, a uma bela musica , a uma deliciosa companhia e muito fogo....para aquecer a noite de inverno.

Sim...uma noite fria aquecida pelo calor da promessa.

Gostaria de narrar mais está noite perfeita....mas meu coração parece não acreditar na dimensão deste conto de fadas.

Um sonho...
Uma realidade....
Não importa...

O que importa?
Um vestido ,uma lareira e dois corpos.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Mohicans (indianische Musik)

QUINZE

Quinze!

Quinze dias são trezentos e sessenta horas.
Quinze dias são vinte um mil e seiscentos minutos.
Quinze dias são um bilhão duzentos e noventa e seis milhões de  segundos.
Quinze dias encurtam o  ano para trezentos e cinquenta dias.

Quinze dias leva para se estirpar um cancer.
E eu ganho um ano com trezentos e cinquenta dias.

Só que...
Quinze dias eu levaria amando.
Quinze dias eu levaria te mostrando o lado da vida que você talvez desconheça.
Brinco...eu te mostraria  a vida em quinze mil anos.

Quinze dias eu te mostraria o colorido da vida.
Quinze mil formas de amar
Quinze  milhões de gesto de carinho.
Quinze bilhões risos eu colocaria em seu rosto.

E assim você deixaria de ser um cancer, que mata por prazer.
Que destroi tudo em sua volta,
Que não vê o colorida da vida,
Que não sabe o que é  o pulsar de um coração  no compasso da alegria.

Quinze dias para estar de boca em boca.
Quinze dias para entrar de peito em peito.
Quinze dias que para voce só servem  para esvaziar.

Cancer você só conhece a dor...
O gemer de prazer não te preenche com amor.
Cada corpo que você entra te leva  de volta a escuridão.
Onde voce chama por Deus, mas não sabe de quem se trata.

Quinze dias e consomes uma vida...
Não...não te darei quinze dias, nem quinze horas, sequer quinze minutos.
O bisturi preciso nas mãos de Deus operam em minha vida.
Te arrancando do meu corpo, da minha carne, do meu sangue...

Minha vida foi me dada para amar intensamente...
Para aquecer os corações...
Para alimentar minha alma gemea...
Para dar  e receber...
Para ser e fazer feliz.

És uma doença covarde, e por isto sinto por ti.
Pois sua covardia te deixa sempre  na solidão.

Os anos passam...e sua solidão serão cada dia maior.
Porque desejas  ser sempre um cancer , que simplesmente invade?
Quem o o que te transformou nisto?

Minhas lagrimas irão sequer, a dor irá passar...e você?
Como vai ficar?

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

TIZIANO FERRO - Perdona si te amo

LIVRE ,SELVAGEM E EM PAZ

PERDOE-ME!
Fui envadida por sentimentos que não são meus...
Angustia, ansiedade, impaciencia, intolerancia....insegurança.

Entreguei-me a fraqueza.
Entreguei-me  a fragilidade.

Num momento tão lindo, quando um novo sentimento nascia.
Não, não foi você, não foi este sentimento.

Foram outras coisas, foram outras situações.
Foram moveis velhos rangendo entre as mobilias novas.
Destoando a minha atenção, me tirando do foco de uma nova visão.

Sou selvagem e amo a liberdade.
Não suporto coleiras, não aguento algemas.
Grades não me seguram ....

E assim , meio que enlouquecida, meio atordoada.
Com os olhos vermelhos no  sangue de fuga vital, vejo  você.

Louca sim, louca de amor.
Desesperada também por não conseguir mais me ver aprisionada.

Quero correr livre como loba que sou....
acorrentada somente pelo novo sentimento que nutro.

Quero sentir o ar bater em minha pele.
Quero sentir o sol queimando o meu rosto.
Quero sentir a sua respiração ofegante correndo ao meu lado.

Livres sim, porque assim é o sentimento.
Selvagem pois assim é a minha natureza.
Mas em paz, pois assim é o meu amor.

Portanto não penses que foi com voce.
Entenda, foi a luta pela conquista da liberdade que  me deixou enfurecida.
Não estou fugindo, e sim me libertando.

Agora estou em paz!

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Marisa Monte - Não é Fácil.

NAVALHA CHAMADA CALMA

Meu diario...
Quantas vezes é preciso morrer para nascer de novo?
Esta é  a minha pergunta a você que me acompanha por toda esta tragetoria.
Quantas vezes a dor da morte pode expreitar um coração.

Me responda por favor!

Meu corpo palido se prosta sobre a cama dentro de uma camisola negra.
Meu coração está parando de bater...engraçado,
 assim a dor parece que se esvai.
Meus olhos mau conseguem enxergar.
Meu perfume de jasmim se essala pelo quarto, é o cheiro da morte? Pergunto.

O raio de sol que invade o quarto se congela ao tocar minha pele.
O meu espelho, ah o meu espelho de onde está não pode me refletir.
Meus braços não encontram  forças para levantar.
O grito de socorro que tento não sai de minha boca, seca, amarga, travada.

Meu corpo está colado na cama...hoje sem o meu brilho, sem o meu desejo de viver.
As lagrimas caem como um riacho, hora devagar, lento...hora como uma correnteza.

Aqui estou eu , sentindo que depois de tanta luta nada mais me restou...somente a dor.

Ah solidão maldita que chega sem pedir licença, invade e destroi uma força interior.

Ah solidão que provoca tanta destruição.
Procuro pela loba que sou e não consigo me encontrar.
Meu corpo está fragil, minha alma está fragil...estendo minhas mãos para o vazio.

A calma que me pede é uma navalha de fio  cortante que sadicamente penetra o meu coração.
Ela entra devagar - uma dor pontiaguda inicia em meu peito,
a navalha para - olha e começa novamente
ainda mais lenta a penetrar...e a dor , a dor aperta, angustia, mau trata, mata aos poucos.

Ah navalha chamada calma que deverias vir para curar, enganou seu mandante .
Viestes sob uma ordem e executas outra.

Minha dor me enfraquece e não consigo lutar.

Chamo por Deus...pois nunca pensei que cairia
sob o golpe de uma navalha, chamada calma.

domingo, 23 de outubro de 2011

Diogo Nogueira - Fé em Deus.wmv

UM DIA SEM CAVIAR

Querido diario.

Alma lavada....é como estou hoje.
Um dia lindo se abriu em minha frente esta manhã.
Meu acordar foi cheio de alegria, joguei meus lençois para o lado, deitei minha camisola no chão...me vi nua em frente ao meu espelho.
Me beijei e acariciei...hoje um dia muito especial.
Meu banho delicioso, meus cremes me lamberam e minha roupa hoje.
Um vestido longo branco de algodão, um colar de pedras grandes de ametista, sandalia rasteira,cabelo solto, uma maquiagem suave, meu perfume de jasmim, e meus oculos escuro.
Aniversário da minha empregada e adivinhe...pela primeira vez pude  ir a casa dela.
Uma familia enorme de gente simples e feliz.
Fui recebida como uma rainha, mas na realidade me sentia como uma criança.
Um samba de raiz animava as pessoas que comiam , bebiam e dançavam com tamanha energia.

Não tinha caviar, não tinha Chateau Roubine, os copos não eram de cristal, a agua não era importada.

Mas tinha rostos suados e sorrisos largos, a felicidade esstampada.
Tinha samba no pé e prato cheio.
Tinha uma coisa que nunca tinha visto de perto...o verdadeiro calor humano.
O samba de Diogo Nogueira ecoava em meus ouvidos e condizia com a imagem que eu via.

Tenha fé em Deus!

E assim, eu sorri, comi, bebi e até dancei...e acredite, um samba raiz é muito bom.
Um dia de muita fé e alegria...descobri que para ser feliz basta crer!

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Sheryl Crow - Run,baby,run (live 1995)

BRANCO COMO A NEVE



Dia de chuva...
Agarrada ao meu travesseiro resolvi dormir mais um pouco.
Meus lençois brancos eram  um convite a ter doces sonhos.

E lentamente adormeci....
E sonhei, caminhando por uma floresta em passos lentos ,respirando o ar frio que vinham das montanhas.

Minha camisola se arrastando pelo chão e eu sentindo uma paz tão profunda.
Me sentia segura ali, como se estivesse em casa.
E caminhava sem destino por meio a trilhas e matos.

Destino!
Parecia que caminhava em busca dele.
Mas sem pressa, sem desespero, sem angustia.

Ele  me pedia calma e eu...obedecia!
Caminhava lentamente esperando por ele.
Aguardando seu chamado.

Tenha calma....e o ar puro da floresta entrava como balsamo em meus pulmões.
Caminhei não sei por quantas horas...pareciam dias.

O cansaço insistia em me abater, mas a esperança, esta me alimentava.
Dizendo:- O Destino te aguarda!
E assim fui eu....atravessando a floresta.
Atrás do meu Destino.
Plácida , lánguida na esperança de que o destino me possua.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Adele - Rollin in The Deep (Diggz vs. Afrojack Peak Hour Club Mix) Dj Su...

ASAS PINTADAS

Bom dia!
Bom dia anuncia o meu coração...
Abro meus olhos, estiro meus braços e dou uma gostosa espreguiçada sobre minha cama.
Sobre meus lençois macios, limpinhos cheirosos...posso sentir o prazer de uma bela cama.
Passo a mão em meu corpo sobre a camisola que me acaricia....

Bem, hoje eu não posso demorar.
Tenho que correr, tenho uma coisa muito importante para fazer.
Jogo minha camisola no chão e passo correndo em frente ao espelho que me reflete num flash.

Corro para meu banho...a água fria cai em meu corpo me arrepiando toda, aiiiiiiii está gelada, mas está gostosa.

Meus cremes me lambem na mesma rapidez pois assim o dia me cobra.

Corro para o meu closed e a roupa tem de ser confortavelmente sexy.
Uma bermuda jeans com tachas, uma camisa boyfriend branca com um par de asas pintada nas costas.cinto de couro e sandalia de camurça.
Cabelo num rabo de cavalo, um echarpe branco. Minha maquiagem suave, perfume de jasmim e meus oculos escuro.

Uma checada em frente do espelho, um beijinho no ombro...estou linda!
Corro pra cozinha onde a minha empregada já está com o meu  suco na mão, dizendo já sei...está com pressa. Um beijo no meu cachorro fofoooooo e com a chave do carro nas mãos eu desço correndo pra a garagem....

Aonde eu vou?
Ah sim....minhas crianças me esperam.

A tão esperada aula acontece hoje onde eu dou um pouco de mim
 e saio contagiada com tanto amor que recebo.

Tema de hoje... A História do Teatro!


O teatro surgiu a partir do desenvolvimento do homem, através das suas necessidades. O homem primitivo era caçador e selvagem, por isso sentia necessidade de dominar a natureza. Através destas necessidades surgem invenções como o desenho e o teatro na sua forma mais primitiva. O teatro primitivo era uma espécie de danças dramáticas colectivas que abordavam as questões do seu dia a dia, uma espécie de ritual de celebração, agradecimento ou perda. Estas pequenas evoluções deram-se com o passar de vários anos. Com o tempo o homem passou a realizar rituais sagrados na tentativa de apaziguar os efeitos da natureza, harmonizando-se com ela. Os mitos começaram a evoluir, surgem danças miméticas (compostas por mímica e música).
Com o surgimento da civilização egípcia os pequenos ritos tornaram-se grandes rituais formalizados e baseados em mitos. Cada mito conta como uma realidade veio a existir. Os mitos possuíam regras de acordo com o que propunha o estado e a religião, eram apenas a história do mito em ação, ou seja, em movimento. Estes rituais propagavam as tradições e serviam para o divertimento e a honra dos nobres. Na Grécia sim, surge o teatro. Surge o “ditirambo”, um tipo de procissão informal que servia para homenagear o Deus Dioniso (Deus do Vinho). Mais tarde o “ditirambo” evoluiu, tinha um coro formado por coreutas e pelo corifeu, eles cantavam, dançavam, contavam histórias e mitos relacionados a Deus. A grande inovação deu-se quando se criou o diálogo entre coreutas e o corifeu. Cria-se assim a acção na história e surgem os primeiros textos teatrais. No início fazia-se teatro nas ruas, depois tornou-se necessário um lugar. E assim surgiram os primeiros teatros.

domingo, 16 de outubro de 2011

Gloria Gaynor - I am what I am Lyrics !!!!

EU NÃO POSSO TIRAR MEUS OLHOS DE VOCÊ MAS EU SOU O QUE SOU

Hoje é domingo...
O sol entra pela janela do meu quarto anunciando um dia lindo lá fora.
Os passaros cantam, o vento balança a cortina...o cheiro do café vem da cozinha me convidando a me levantar.

Olho meu corpo semi nu entre os lençois que se reservam no canto da cama.
Meu travesseiro colado em meu corpo se mostra um companheiro inseparavel.
Os cabelos soltos se enrolavam entre este emarranhado de lençois.
Gloria Gaynor me mostra quem sou eu...e que quem nasceu para brilhar não pode  se apagar.
E assim...num salto saio da casa.

Jogo minha camisola no chão e deslizo pelo quarto dançando.
Eu sou o que sou me embala...o espelho me reflete e vejo meu brilho voltando.
Meus cabelos balançam e meus musculos todos trabalham no ritmo da musica.
Braços, pernas, cintura , quadris  e muito muito balanço.
E assim brinco comigo mesma ,
Eu sou
Eu sou
Eu sou
Me abraço, me beijo, me acaricio e me amo...eu sou o que sou
E quem sou eu?
E quem sou eu ?
A Lôba!!!!!!!!!!!!!!!

Entro no meu banho toda suada, deliciosamente suada.
Meus cremes me lambem felizes pois me reconhecem.
Volto ao meu espelho que reflete a minha imagem, e então pergunto, o que visto?

Sim..hoje eu mereço uma linda saia branca rodada, uma camiseta amarela, uma sandalia de de salto de corda, meus colares de pedras onix, amestista, agua marinhas, brinco de argola em ouro e meus anéis.
O cabelo num rabo de cavalo para espor minha nuca.E meu perfume de jasmim.

Quando chego na cozinha a minha empregada esta com um lindo sorriso me esperando e meu cachorro...como está grande, o tempo passa.
Me suco de abacaxi com hortelã e meu croissant.

Lindo dia, lindo dia este!
Uma Lôba usando mais uma das suas sete mil vidas!

Grandioso dia....sou eu, sou eu.
Quando ao lôbo...
Amanhã é outro dia!


Eu sou o que sou
Eu sou minha própria criação especial
Então venha dar uma olhada
Dá-me o gancho
Ou a ovação
É o meu mundo
Que eu quero ter um pouco de orgulho
o meu mundo
E não é um lugar que eu tenho que esconder no
A vida não vale a pena uma represa
Até que eu posso dizer
Eu sou o que sou

Eu sou o que sou
Eu não quero elogios
Eu não quero pena
Eu bato meu próprio tambor
Alguns pensam que é ruído
Eu acho que é bastante
E então o que se eu amo cada brilho e cada pulseira
Por que não ver as coisas de um ângulo diferente
Sua vida é uma vergonha
Até que você pode gritar
Eu sou o que sou


Eu sou o que sou
Eo que eu sou não precisa de desculpas
Eu trato meu próprio deck
Às vezes os ases, às vezes os duques
É uma vida e não há retorno e sem depósito
Uma vida por isso é hora de abrir seu armário
A vida não vale a pena uma represa até que você pode gritar
Eu sou o que sou

Eu sou o que sou

Eu sou o que sou
Eo que eu sou não precisa de desculpas
Eu trato meu próprio deck às vezes os ases, às vezes os duques
É uma vida e não há retorno e sem depósito
Uma vida por isso é hora de abrir seu armário
A vida não vale a pena uma represa até que você pode gritar
Eu sou o que sou

Eu sou eu sou eu sou bom
Eu sou Eu sou Eu sou forte
Eu sou Eu sou Eu sou digno
Eu sou Eu sou Eu pertenço
eu sou
eu sou
Quem whoooo etc
eu sou

Eu sou Eu sou Eu sou útil
Eu sou Eu sou Eu sou verdadeira
Eu sou Eu sou alguém
Eu sou tão bom como você

Sim, eu sou

sábado, 15 de outubro de 2011

djavan, chico buarque e gal costa - nuvem negra

PASSA NUVEM NEGRA

Hoje é sabado...

Minha cama me abraça e meu corpo pede para não acordar.
Estendo o braço e ainda com os olhos fechados ligo o DVD da cabeceira da cama...
e a música descreve  o meu recusar de acordar.
Um final de semana sem te ver, sem ter seu olhar a me aquecer.
Não definitivamente não quero acordar...quero passar este final de semana na minha cama.
Sonhando com seu olhar, com  seu toque, com sua pele, com seu cheiro...ahhhhhhhhhh seu cheiro.

Busco na memoria o seu gosto...

Com os lençois acaricio meu corpo, e minha pele se arrepia com as lembranças que voce me trás.
Meu pulso acelera...minha respiração fica ofegante, mas meu coração se aperta
com a lembrança de que é final de semana.
Abraço meu travesseiro, entranho os lençois por entre os dedos a imaginar tuas mãos nas minhas, aperto forte e tento sentir você.

"Passa nuvem negra ...este amor que é raro e  é preciso para  nos levantar  me derrubou. Não sabe parar de crescer e doer..".

Olho para meu corpo prostado sobre uma cama, entre lençois, e travesseiro  e seu cheiro e seu cheiro.
Entre arrepios que sua lembrança me trás.
Passe, passe, passe logo final de semana...eu preciso ter a esperança de que vou poder te ver crescer em minha frente. Como se cresce uma sombra , um sonho...

Passe e traga de volta o meu brilho, o meu sol!

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

sade - somebody already broke my heart

ALGUÉM JÁ QUEBROU MEU CORAÇÃO

Então meu diario...
quer respostas, quer saber como foi minha noite?
Uma noite de caça...
o cheiro de perfume , bebidas e sexo estavam no ar.

Rodei a noite toda, entre bares e boates.
Alguns conhecidos, conversas e dança.
E meu olhar predador...

Sim meu diário, eu busquei a noite toda.
No carro Sade embalava a minha procura.
Olhares, gestos, gostos.

Faltou sinergia, quimica...faltou.

Sou a caçadora não a caça.
Sou quem escolhe , não a escolhida.

Discursos manjados, frases sem efeitos.
Não, definitivamente não encontrei o que queria.

Trouxe para a casa um corpo em chamas quase  cinzas.
A lua me enganou, porém só ela.

Alguém já quebrou meu coração.
Não é possivel quebrar duas vezes, prefiro me socumbir em chamas.

Que ter que assistir uma presa  patetica incapaz de me olhar nos olhos.

Quero alguém a minha altura...que possa se dar da mesma forma que eu me dou.

Continuarei a procurar!

domingo, 9 de outubro de 2011

Notre Dame De Paris - Belle (English Subs - Multilanguage Description)

CEM PORCENTO FEMEA

Meu diario,
acordei com uma vontade de caçar...de ir em busca da minha felicidade.

Meu coração pulsa como se fosse estourar.
Uma onda invade meu corpo tomando todos os meus sentidos.

Me sinto em chamas como um vulcão prestes a explodir...
Olho para céu e vejo....a lua me chama!
 A lua, ela mesma , a lua que me faz uivar.
Que faz enlouquecer e em enxe de sedução e paixão.

Quero encontrar um lobo, meu lobo e a lua me diz:-
Venha, solte sua loba  e venha.
Se queres ser você, se queres ser amada ...então venha.

E nesta chama e onda de chamado e desejo eu
me olho.
Meu corpo, ali cada centimetro de puro ardor.
Necessitando de outro corpo para se acalmar.
Sim...definitivamente hoje eu tenho que correr os campos .

Me levanto, deixo minha camisola no chão.
Minha pele já está toda sensivel, caminho ao som da musica.
a voz rouca de Garou me coloca atenta.
minha passarela se abre a minha frente dando ao espelho a visão da minha nudez.

Meu banho se faz com um ritual de rosas vermelhas, a esponja me acaricia a pele.
Quero estar cem porcento femea...cem porcento amor.
Meus cremes me lambem a pele como uma forma de amar.
E assim vou para frente do espelho....meu closet se abre para que eu possa encontrar
o meu perfil do dia.
Uma lingiere fio dental para não marcar a saia tubo de cetim de seda vermelha, uma blusa bege frente unica de organza pregueada. Um par de brinco de ouro com pingentes de disco pendurados, o cabelo cacheados soltos sobe os ombros. Sandália Rene Caovilla bege, meu perfume de jasmim borrifado no ar.
A chave do carro nas mãos e saio  pela porta da  frente.

Não olho para trás, não  olho  mais para trás!

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

The Way You Look Tonight Tony Bennet

A MANEIRA COMO VOCE OLHA HOJE A NOITE

Meu diario,
feche bem suas páginas quero te contar meu segredo.
Feche...e  abra seus ouvidos, pois quero me abrir contigo.

Olhe aquele espelho!
Olhe como ele se mostra indiferente.
Olhe ele se porta como se nada tivesse refletido.

Mas hoje a noite quando me coloquei em sua frente, nua , me olhando despretensiosamente.
Ele refletiu em minhas costas uma imagem mascula...que se aproximava lentamente.

Um olhar fixo que me fitava e me prendia.
O espelho tetemunha de tudo calado olhava e nada fazia, só refletia.

Um lobo com sede, veio beber em minha fonte.
E eu nua  permiti...

Enquanto ele se saciava eu podia ver em seus olhos
as ondas de um mar quebrando num rochedo.
As gaivotas voando e...

Ondas...foram as sensações que em meu corpo percorriam.
Me senti como uma fonte de vida, que dava e recebia.

Sim meu diario...este espelho testemunhou tudo , e agora
se mostra assim.
Não me permitindo compartilhar.
Quase que me obrigando o segredo...e se não fosse voce
eu teria que me sofocar.
Não podendo sequer te  revelar aquela maneira de olhar.