Total de visualizações de página

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

DESABAFO

Cave, cave bem fundo.
Agora crave, crave bem lento este metal frio.
Deixa eu sentir a leveza de tua mão ao furar-me a carne.
Ao sangrar-me o peito.
Quero ver o brilho dos teus olhos negros
negros como a escuridão da noite sem luar.
Seus gestos suaves como de um cavalheiro que por trás  esconde
toda a sua crueldade e dissabor.
A vida foi cruel contigo  eu imagino e você se vinga em almas inocentes.
Com os olhos de anjo observo seu prazer
e mesmo morrendo aos poucos, lentamente, friamente em suas mãos,
mesmo assim tenho vontade de tocar-lhe os lábios
e  te dar  o meu ultimo beijo para que sintas 
 o pouco do calor que ainda resta neste corpo desfalecido.
Não te culpo, não me culpe.
Não fui eu quem te tornou o que és, a vida talvez o mundo não sei...
Não me culpe por não conseguir te odiar, meu coração só aprendeu
a amar. E neste metal frio e rígido escorre o sangue que só soube pulsar por ti.






segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

SENTADA AO PÉ DE TI


Me sinto uma instrumentista sentada ao pé de ti.
O gosto da tua pele, do teu sal impregnado em meus lábios.
Toco suavemente a língua no suor que cai de ti
Ponho na boca  tua flauta  de notas suaves,
 macia que me transporta deste mundo.
Mato  minha sede na fonte do teu prazer.
Ouço seu cantar, seu gemido 
enquanto observo os lençóis se  emaranhando.
Como é doce   o sabor de estar ao pé de ti.
E ter o teu cheiro impregnado em mim...
e poder delirar ao tocar o instrumento que nos faz levitar.
E sentar ao pé de ti.




sábado, 9 de fevereiro de 2013

UMA GAIOLA SEM PORTA



Querido diário,
As lembranças chegam numa manhã de sábado,
 sentada  em meu belo tapete persa, recostada ao sofá da sala de estar... dentro de um confortável vestido Romana Keveza na cor azul piscina. Com os cabelos presos num rabo de cavalo ,um bracelete  em ouro da Tiffany & Co. no braço direito, uma taça de Veuve  Clicquot na mão  viajo ouvindo Century - Lover Why.
Olho pela vidraça da varanda  de minha cobertura e vejo o tempo passar como o trailler de um filme antigo.
Lembranças de conversas leves, geradas do nada ,que me levaram a crer em tantas coisas.
Vejo na estrada da vida que percorri sem sentir a construção de uma bela gaiola na qual  o perfume das flores não me fizeram perceber que a vida passou tão ligeiro.
E aquela  simples conversa , destas que temos despretensiosa me despertaram para a dor da prisão.
Fez gerar a vontade de ser passarinho , a vontade de voar, de cantar e acompanhar outro voo. 
O tchau no encerrar de uma conversa, dizendo que iria desfrutar da liberdade de um final de semana.

A minha resposta sem sentir e a qual me fez despertar:
 - Voa passarinho, pois sou como a cotovia que nunca pode ver a luz do dia fora desta gaiola.

Sim meu diário,
de repente a gaiola ficou pequena, sufocante e o canto de um  pássaro que se disse livre me gerou a angustia de estar presa.

Canta...dizia ele e eu não conseguia.
Venha...e eu me debatia.

Canta...dizia ele.
Venha....me chamava.

Veja como sou feliz, veja como sou livre.
E cada vez mais minha vontade de ir atrás aumentava.

BOBA! Quem disse isto? 
Eu , seu diário, sua consciência , sua realidade.
Então não vê que a sua gaiola não tem porta,  que não sabe voar sozinha e que quem te convida nada faz para te ajudar a quebrar sua gaiola?
........

Só agora posso ver!








http://youtu.be/65AelLGZ-2E

domingo, 3 de fevereiro de 2013

NUM POT-POURRI DE EMOÇÕES





 Eu queria que em um dia qualquer, você chegasse de fininho, me 

abraçasse apertado e dissesse: Senti sua falta!

Queria que você me mostrasse que sou importante pra você 

também, entende?

Que mesmo envolvidos em trabalhos, responsabilidades  coisas 

importantes... lembrarmos ao outro que está também mergulhado

 em seus próprios problemas que ela é importante pra você também
.
“A felicidade aparece para aqueles que choram.

Para aqueles que se machucam.


Para aqueles que buscam e tentam sempre.


E para aqueles que reconhecem


a importância das pessoas que passam por suas vidas.”


E para fazer alguém feliz é preciso tão pouco...basta ser feliz ao 

lado dela.

“Sonhe com aquilo que você quiser.

Seja o que você quer ser,


porque você possui apenas uma vida


e nela só se tem uma chance


de fazer aquilo que se quer.”


E o que eu quero, é estar ao seu lado.

Me sentir viva,

me sentir amada.

Poder relaxar na segurança de que desejas o mesmo que eu.

E assim tocar minha vida na paz que seu sorriso me dá.

Na segurança que seu corpo me trás.

Num pot-pourri de emoções.

ADORMECI

Adormeci,
Assim esperei por ti.
Preparei meu corpo...
Banhei em águas de flor, lavei em cremes.
Penteei meus cabelos e os envolvi em aromas suaves.
Escolhi meu melhor lençol, aqueci os travesseiros.
Sobre a pele meu hobby de renda e sob ele meu corpo todo pronto só para te receber.
Bateu primeiramente a euforia,
 depois a expectativa,
então veio  a angustia,
lagrimas me visitam, deixando sua imagem turva.
A garganta travada na dor da espera.
No peito uma voz tenta me acalmar: -Calma, ele virá!
Mas as lagrimas não deixam de cair...
Espero por minutos, horas, dias, meses... ele virá a voz insiste.
Pergunto a voz porque?
 Em que devo acreditar? E ela me responde:- Só não quero vê-la sofrendo.
O vazio me invade, a dor no peito corta como se a morte estivesse me visitando.

Será que ele não vem, pergunto?
Estou vivendo um sonho, uma ilusão? 
As perguntas aumentam  o tempo passa e a reposta não vem.
Estou exausta...e para aquecer meu corpo só o sono que se apieda, não deixando que  a  dor morte me sucumba. E assim adormecida choro a dor da sua espera.


http://youtu.be/h1bNKVptliA