Total de visualizações de página

quinta-feira, 23 de junho de 2011

LÔBA EM POSE

Bom dia! Acordei hoje super animada, me arrumei para ir a  um almoço com um amigo (fotografo profissional renomado). Não foi facil acertar na produção , já que ele trabalha com moda.
Tive  o maior cuidado para não errar. Minha calça skinny de couro vermelha, uma camiseta branca de malha fria, um cachecol de seda no pescoço.Brincos  argolas de ouro, minhas pulseiras escravas  , meus anéis.
Cabelo solto , meu perfume de Jasmim e meus óculos escuros. Sapatos e bolsas de couro preto.
Minhas unhas pintadas em rosa chá davam um contraste suave  ao visual...
Ele super gentil conversou muito comigo a respeito da profissão, me contou de seus trabalhos, seus clientes, suas viagens, seus projetos e planos. Enfim ,comemos um delicioso Fish & Bacon (um filé de Saint Peter sobre cama de alho poro, bacon e cebola).Acompanhado de um delicioso vinho escolhido por ele. e de sobremesa  pavê de chocolate branco com maracujá . Expus para ele meu desejo de abrir um estudio fotografico e dentro de nossa conversa veio um convite inusitado. Ele me convidou para posar para ele.
Me assustei de  inicio ao mesmo tempo em que me excitou a ideia.
Imagine eu, que a tão pouco tempo não passava de uma dona de  casa sem perspectivas, sendo convidada para uma secção de fotos. Que seriam usadas claro para expor e compor a decoração do nosso novo estudio pois estavamos compondo uma sociedade.
Amei a ideia... Lôba em pose!
Este será o nome do nosso estudio....



Bill Brandt, fotógrafo de nus



Nasceu em 1904 em Hamburgo. Interessou-se pela fotografia a partir dos 20 anos, quando ainda residia em Viena. Este grande mestre da fotografia, optou por ressaltar valores como a poesia, a justiça e o amor.
Em 1929 se muda para Paris onde trabalhou como assistente de Man Ray, mudando-se dois anos depois para Londres. Ali começa sua carreira como fotógrafo independente. Durante este tempo Brandt faz fotografias de grandes cidades inglesas, num momento em que se apressa uma crise econômica.

Em 1944 adquire uma câmera de placa com uma grande angular.
O relevante de suas paisagens é a preferência por determinados tipos de luz que estimula a total e absoluta liberdade mental. O poeta Aland Ross escreveu sobre esta forma característica dos retratos de Brandt, o qual explorou livremente as possibilidades do meio fotográfico sem unir-se a nenhuma doutrina.
Para os anos 50, começa a positivar suas imagens em papel contrastado e duro chegando a solidificar os negros proporcionando relevo a altas luzes
Com a idade de 40 anos Brandt passa por um tipo de fotografia arquitetônica e social, para o o retrato. Neste momento é quando depois de sua experimentação se inicia na fotografia de nus e perspectivas deformadas.
 
Um fotógrafo deve possuir e conservar as faculdades receptivas de um menino que olha o mundo pela primeira vez (Bill Brandt).

Bill Brandt faleceu o 20 de Dezembro do 1983.

http://www.fotodicas.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário