Total de visualizações de página

terça-feira, 31 de maio de 2011

SOL , LUA e VINHO

Ontem no final da tarde arrumei minhas coisas e parti para a fazenda!
Cheguei tarde  da noite,  a lua clareava o pasto que nesta epoca do ano fica bem verde e o ar puro penetrava pelo pulmão deixando a respiração bem geladinha. A caseira  já me esperava preocupada por eu pegar a estrada tão tarde da noite. Foi logo dizendo que  as mulheres da cidade não tem medo de andar sozinhas a noite. E  logo  me abraçou de uma forma tão acolhedoura. Recolheu meus pertences e avisou que o quarto estava pronto me esperando. Fui dormir logo pois o dia seguinte  prometia e eu estava cansada da estrada solitaria.
Acordei numa bela manhã de sol, o relinchar do meu cavalo me encheu de alegria... abri a janela e lá estava ele.
Um lindo arabe branco com todo porte de um garanhão. O peão com um largo sorriso no rosto me dá o bom dia e vai dizendo que o cavalo estava  selado para corrermos a fazenda.
Tomo meu banho e me visto...calça jeans, bota de cano alto, perneiras, camisa branca  de algodão de manga comprida. Cabelo preso num rabo de cavalo. E desço para tomar o meu café...na mesa o cheiro do leite quentinho se misturava com o do café com bolo e frutas frescas colhidas no pomar. Os peões  , as mulheres e as crianças esperavam na varanda em frente a casa para me cumprimentar.
Cada qual contando seus casos e dando gargalhadas com as situações. As crianças  brincavam felizes ao mesmo tempo em que me olhavam com curiosidade
. Meu cavalo me chama, parecendo me reconhecer ao longe. Agora com meu chapéu e a taca na mão monto  no meu arabe  e parto pela estrada de terra.
Já passava das treze horas quando retornei para a casa grande, estava exausta...a tanto tempo não corria a fazenda desta forma. Almoçei um belo cordeiro assado e fui descansar na rede na varanda do meu quarto que me apontava a vista para  o lago de aguas escuras ferrosas. Adormeci...
Quando acordo posso apreciar um lindo por do sol se deitando sobre as águas do lago, os pássaros cortando o céu, os animais emitindos seus sons de recolher... de repente  um enorme calor começa  a subir em minhas veias, sinto minhas garras afiadas, o olfato aguçado...um uivar solitário vem em minha garganta. E me lembro das rosas...
Desço até a sala e me sirvo de uma taça de vinho rosé, coloco uma música suave  e vou para a varanda da frente da casa, me sento na cadeira de balanço e vejo a noite cair escura com uma lua  prateada  anunciando...


VINHOS

Quer seja um apreciador ou não, a verdade é que o vinho se tornou um verdadeiro símbolo de estilo e até de sex appeal. Um homem com conhecimentos sobre o vinho que bebe é alguém que é olhado com respeito e mesmo com admiração. Quer seja num jantar sensual partilhado com alguém, ou mesmo num jantar de negócios, saber apreciar um bom vinho é sempre certo de causar boa impressão. Sirva-se das nossas dicas para saber como ser um verdadeiro expert na arte de saborear um bom vinho e impressione.
  1. Olhe para o vinho especialmente à volta do copo. Movimentar um pouco o copo pode ajudar a ver melhor a cor do vinho a mudar, do centro para as extremidades. Segurar o copo em frente a um fundo branco, como uma parede, é outra boa maneira de ver a verdadeira cor do vinho. Procure observar a cor do vinho bem como a sua claridade. Os vinhos brancos tornam-se mais escuros quanto maior a sua idade; o vinho tinto perde a sua cor avermelhada tornando-se numa cor mais escura e forte, um pouco mais acastanhada, deixando por vezes até um pouco de sedimento no fundo da garrafa. Esta altura é uma boa altura para cheirar o vinho e verificar os odores, que podem indicar que o vinho está estragado.
  2. Gire o vinho no copo. Isto serve para misturar o oxigénio com o vinho, que irá suavizar os taninos (sabores da casca da uva) de um vinho jovem. Também deve espalhar o vinho na superfície do copo, para que o álcool do vinho evapore um pouco.
  3. Enquanto estiver a girar o vinho no copo, repare na viscosidade do vinho, note como o vinho escorre na superfície do copo. Os vinhos mais viscosos dizem-se vinhos com “pernas”, e são normalmente mais alcoólicos.
  4. Cheire o vinho. Inicialmente deve segurar o copo um pouco distanciado do nariz. Depois deve colocar o nariz um pouco dentro do copo, e verificar o que é que o cheiro lhe diz.
  5. Dê um gole no vinho, mas não engula já. Role o vinho na boca, expondo-o a todas as papilas gustativas. Faça isto durante alguns segundos antes de o engolir dando tempo para pensar nos sabores que está a experimentar. Inspire pelo nariz enquanto movimenta o vinho na boca. Isto aumenta o sabor do vinho.
  6. Tome outro gole, mas desta vez induza ar no mesmo. Sorva o vinho (sem fazer barulho). Note as diferenças subtis entre o sabor e a textura.
  7. Note o sabor final que resta na boca quando engole o vinho. Quanto tempo dura esta sabor? Gosta do sabor?
  8. Os vinhos têm 4 componentes básicos: sabor, taninos, álcool e acidez. Muitos enólogos crêem que um bom vinho deve ter um bom balanço destas quatro características. A idade e a decantação suavizam os taninos. A acidez suaviza com a idade de um vinho. O sabor frutado aumenta e decresce durante a vida de um vinho. O álcool mantém-se o mesmo. A junção destes factores contribui para saber quando deve beber ou decantar um vinho.
  9. Fica aqui uma lista de sabores encontrados nas mais comuns variedades de vinhos:
      • Cabernet – frutos escuros, especiarias verdes
      • Touriga – aromas florais, ameixa
      • Merlot –frutos negros, especirias verdes, floral
      • Zinfandel - frutos escuros (often jammy), especiarias negras
      • Syrah – frutos negros, especiarias negras.
      • Pinot Noir – frutos vermelhos, floral, ervas
      • Chardonnay –Maçã, pêra, pêssego
      • Sauvignon Blanc – Uvas, lima, melão
O envelhecimento em carvalho causa ao vinho um sabor abaunilhado ou sabor a frutos secos.
  1. Não se esqueça se estiver a servir o vinho, deve de o servir no copo correcto. Os copos mais largos são para os vinhos tintos, e os mais pequenos e estreitos são para os vinhos brancos.
  2. Antes de mais, faça experiências com diferentes alimentos acompanhados com um tipo de vinho e compare a mudança de sabores que os alimentos provocam quando misturados com o vinho. Com os vinhos tintos experimente queijos de boa qualidade, chocolate e bagas. Com vinho branco experimente maçãs, peras e frutos citrinos. Combinar o vinho com certos alimentos é mais complicado do que vinho tinto com “carne” e vinho branco com peixe. Sinta-se livre de beber o vinho que desejar com o tipo de comida que quiser, mas lembre-se que uma combinação perfeita dá muito mais prazer que uma menos perfeita.
  3. Se estiver a servir o vinho em sua casa, saiba que a maioria do vinho depois de aberto não dura mais do que um par de dias; o vinho tornar-se-á em vinagre, tornando o vinho não bebível.
http://cromossomay.com/

Um comentário:

  1. Parabéns! um lindo texto, emocionante e informativo ao mesmo tempo, me emocionei com a historia da fazenda com o lago e seu por do sol...
    lembrei de algo que me aconteceu e foi bem parecido, me encontrei nessa historia, bons tempos!
    Também a informação sobre vinhos, lembrei quando eu fiz um curso sobre conhecimentos em vinhos um episódio muito bonito que me aconteceu, além de aprender sobre vinhos e seus deliciosos aromas, a pessoa quem me ensinou o Expert em vinhos foi o meu grande amor, tivemos longos e deliciosos jantares românticos regados com muito vinhos e muito amor! Tempos que ficaram eternizados para sempre dentro do coração.
    Obrigada querida Eunice por compartilhar essa maravilha de texto! beijos em seu coração.
    carinhosamente Rosangela

    ResponderExcluir