Total de visualizações de página

terça-feira, 10 de maio de 2011

SÓ QUERIA ME SENTIR AMADA!

Hoje eu resolvi espairecer, a tarde fui ao shopping e lá encontrei com minhas amigas.
Sentamos e conversamos muito...uma é  separada do marido e a outra  nunca  se casou,
falamos sobre relacionamento. Como uma experiência de vida a dois difere. A solteira falou que já viveu muitos relacionamentos e que tem hoje uma visão muito clara do que quer da vida, a separada diz que ainda sonha em ter um companheiro,  e eu...falei como se estivesse realmente resolvida (menti).
No auge do meu casamento acho que tenho que somar os pontos positivos, no intimo...me sinto mais frustada do que ambas. Mas também não acredito que nenhuma delas estejam realmente satisfeitas com suas vidas. Mas e a minha vida, que faço com ela? O que faço com este fogo que me queima, que deveria me dar prazer mas só me consome por dentro?



Em busca da Auto Estima Feminina

Ele tem o dom de colocar a sua auto estima lá em baixo.Critica-a, fala mal de tudo o que lhe pertence, não suporta os seus amigos, masainda assim diz que a ama. Afinal, que amor é esse?

As mulheres de hoje são independentes, modernas, colocam em primeiro lugar a sua carreira profissional, e longe vai o tempo em que elas vivem debaixo da “asa” do companheiro. Esta realidade é verdadeira, mas apenas se aplica a uma parcela da população feminina. Há ainda um outro grupo que continua a viver pesadelos com o homem que está ao seu lado, aquele que diz que a ama, mas que não consegue, por um momento sequer, elogiá-la, apoiá-la, ou fazê-la sentir realizada. Será esse amor real?
Situações como esta apenas contribuem para uma consequência: a perda de auto estima. A mulher começa a sentir-se pouco importante, vulgar, deixa de ter sonhos, afasta-se da família e dos amigos, em prol dessa pessoa que ama. Podem ser diversos os motivos que levam a que um homem esteja sistematicamente a criticar uma mulher, mas habitualmente verifica-se essa tendência quando estamos a falar de homens demasiadamente ciumentos, inseguros e invejosos. Ainda que em muitos casos, estas atitudes estejam relacionadas com amor, algo doentio mas amor, a verdade é que nem sempre isto sucede. Por vezes, este comportamento serve apenas para esconder um desejo de posse que não se adequa nos padrões normais do comportamento amoroso.
Você foi promovida no emprego? Mudou o seu visual? Inscreveu-se no ginásio? Reencontrou amigos da universidade? Qualquer uma destas situações deviam ser motivos para que ele ficasse contente por si, mas em vez disso a única coisa que recebe é a crítica ou gélido silêncio. Na verdade, o seu companheiro tem receio de a perder, de conseguir ir mais longe profissionalmente do que ele, de conhecer novas pessoas que a possam fascinar e seduzir que não apenas ele. É neste tipo de atitudes que está implícita a insegurança e medo que ele tem de ficar sem si, mas o excesso desses receios da parte dfele podem conduzir a uma crise no casal.
A maioria das vezes o homem nem toma consciência do ridículo das suas atitudes, e se você se limitar a acarretar os seus desejos o mais certo é que ele continue a fazer ainda pior. Por isso, e a partir do momento em que constatar que o seu companheiro tem estas crises, convém falar abertamente com ele e explicar-lhe a situação. Muitas são as mulheres que se deixam ir abaixo com a falta de incentivo e as críticas do seu companheiro, mas antes de mais é importante pensar em si, nos seus sonhos, e ter a consciência de que não está a fazer nada de mal. Afinal, e se foi promovida, poderão juntos concretizar certas “extravagâncias” económicas, ou não?!
O principal problema é começar a consentir determinadas coisas: deixa de falar com aquele amigo de infância porque ele tem ciúmes, não vai ao seu jantar de faculdade porque ele amuou, ou deixa de frequentar o ginásio porque ele não quer que ninguém olhe para si. Todavia, ele continua a dizer que você está gorda, que os amigos dele são melhores que os seus, e que o seu trabalho não é nada cansativo comparado com o dele. Naturalmente, você sentir-se-á com a sua auto estima em baixo, inútil, pouco amada, e sozinha! Motivo principal: as atitudes dele!
Chegará uma altura em que se vai aperceber que já não há ninguém à sua volta, a não ser ele e as críticas que lhe dirige. Não acha que está na altura de mudar? Pode amá-lo muito, mas isso não justifica que tenha que se submeter a determinadas coisas, a ceder a tudo o que ele diz, e a sentir-se mal consigo mesma. Porquê ficar em casa a ver a telenovela quando podia estar a jantar com as suas amigas? Além do mais, ambas as partes devem ceder em algumas coisas, desde que as mesmas se justifiquem, e não apenas um dos lados. O problema é que, nestes casos, só quem cede é a mulher! Pondere se vale a pena ou não levar adiante essa relação, e caso isso aconteça deve começar a alterar os parâmetros da mesma.
Por vezes, aquilo que a mulher acaba por sentir pela outra pessoa é um simples hábito, quando na verdade, e depois de tanta discussão, o amor já terminou há muito. Se o ama realmente, então mude o rumo das coisas e imponha-se, caso contrário parta para outra. O segredo para resolver a situação é conversar bastante, sobre tudo o que diz respeito aos dois, os vossos sentimentos, medos, inseguranças, sonhos. Há que elevar novamente a auto estima, sentir-se bonita por dentro e por fora, voltar a conquistar a sua vida social, deixar-se levar pelos encantos da vida.
Ainda assim, saiba que para alcançar novamente tudo isto, vai ter que haver um rompimento com o passado, quer seja ao nível da própria relação ou dos hábitos de antigamente. Se tudo continuar como antes, é mais que garantido que as coisas vão ficar exactamente na mesma! Ainda que julgue o contrário, este género de relações são mais frequentes do que aquilo que julga. Extremamente negativas para a mulher, podem deixar marcas psicológicas bastante nefastas. E, acredite, que se ele a amar saudavelmente vai apaixonar-se por tudo o que você fizer e jamais a criticará desnecessariamente!


3 comentários:

  1. O texto acima relata uma grande realidade.
    Mas nunca é tarde para realizarmos nossos sonhos e dixar de pensar nos outros em primeiro lugar e anularmo-nos. Eu fui atrás do meu sonho, desde que se tenha uma profissão tudo é mais fácil, retomei a minha e sinto que está a ser bastante gratificante, sei que estou a ajudar aqueles que presisam e a proporcionar-lhes uma melhor qualidade de vida no resto dos seus dias de vida, só por isso já vale a pena.
    Espero que muitas mulheres tenha a coragem de mudar.

    "Até hoje, sempre pensei em fazer as malas para o definitivo e amanhã ficar na mesma coisa que antes de ontem, que era sempre...
    Mas agora resolvi...
    Vou ser Feliz
    Ejá volto!"

    ResponderExcluir
  2. Querida Vi,
    Ser feliz é ser contagiante!
    Contagie o mundo com sua felicidade pois é o que mais precisamos!
    Esteja em Deus!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  3. A cobrança em nossos ombros é muito grande numa sociedade extremamente machista injusta preconceituosa onde a midia passa uma outra realidade falsifica nossas indentidade de Mulher e ainda temos que aturar nossos " Homens sejam eles filhos pai cunhados primos marido sobrinhos amigos de infancia ,colegas de trabalho numa falsa visão de independencia que só existe quisá finaceiramente para algumas porque a meu ver emocionalmente ,psicologicamente para poucas temos que trvar uma guerra interna onde busca mos ser ouvidas,respeitadas em nossa dignidade de ser humano além de tudo superar a si mesma com tantos preconceitos ainda enraizados e camuflados e assim lotamos os consultorios de terapias sejam elas psiquiatricas ou holisticas o que queremos mesmo É SER AMADAS COMO SOMOS EM MNOSSA REALIDADE COM NOSSOS DEFEITOS LIMITAÇÕES E CARENCIAS.Eu falo por mim que cheguei a conclusão que prciso ter a coragem de chutar o balde arrumar as malas e ir ao encontro dessa tal felicidade.Salvador ,Bahia 29.05.2011 ás 03:22 hs. Msn:Vanuziacarneiro20092hotmail.com

    ResponderExcluir