Total de visualizações de página

sexta-feira, 27 de maio de 2011

MEU CAMINHO

Hoje amanheci tranquila, tinha um casamento para ir.
É a primeira festa oficial que encaro depois da separação,
 sabia que meu ex-marido  estaria presente mas tudo bem, estava tranquila.
Fui ao salão  fiz depilação, unha, cabelo e maquiagem, quando retornei para casa já era final da tarde.
Ao adentrar meu apartamento vejo na mesa no meu vaso de cristal Baccarat minhas rosas...já estou me habituando a elas, meu coração fica descompassado a cada visão, que bela fotografia - minha mesa, meu vaso e minhas rosas - feitos um para o outro e todos para mim.
Rosas cor de rosas. -
 No Bilhete :- Minha cor favorita e que em sua pele consegue ficar ainda mais bonita.  És Lôba!

O casamento estava marcado para as 20h. com o coração aos pulos apressei-me a  entrar  em meu banho, com a pele ainda  sensivel pela depilação, caprichei em meu hidrante de rosas ,e a macies e o seu  perfume me deixava excitada, me sentia linda, femea.
Meu vestido tomara que caia de guipire cor de rosa carregava um laço preto sob o busto.
O cabelo preso num coque alongavam minha silhueta, uma corrente fininha de ouro branco no pescoço, um brinco de pingente em onix, uma pulseira e um anel também em ouro branco completavam o meu look. Sandalias de tiras finas e carteira de tecido preto da Prada. Uma borrifada de perfume no ar e estou pronta. Beijo minhas rosas e vou...
A igreja estava linda, um frio na barriga ao sentir os olhares sobre mim.Mas estava segura.
Cumprimentei os mais próximos e procurei um lugar a frente para assistir a cerimonia.
A marcha nupcial me faziam temer, estava tudo muito lindo, perfeito.
Quando olho para trás quase caio...quem eu vejo.
 Meu ex marido, estava lindo.
Mas minhas forças se esvairam quando vi que estava acompanhado...
Não tem mais volta!


O que não falta na seção de auto-ajuda das livrarias são títulos sobre como superar o fim de um relacionamento. Afinal, o mundo é um casa-e-separa non-stop, e uma mãozinha nessas horas sempre é bem-vinda. Mas alguns livros, com dicas práticas e espertas, bem que poderiam estar na seção de humor. Como assim? Você aí, se debulhando em lágrimas, e a gente falando em fazer graça da sua desgraça? Calma, garota. O fato é que uma separação, dependendo do ângulo que você olha a coisa, pode tornar a vida bem mais divertida. Ainda mais se o caso já estava mais do que terminado e ruim pra chuchu, como costumam ser os derradeiros meses.

Para ajudar nesse período de reabilitação, ELLE fez uma pesquisa, conversou com consultores escolados no assunto e preparou um roteiro com 12 passos rumo à cura da dor-decotovelo - qualquer semelhança com os 12 passos dos Alcoólicos Anônimos é mera coincidência. Então, largue essa caixa de bombons, pare um pouco de ouvir o CD da Maria Bethânia e veja como sair dessa para uma melhor.



1. Atenção: Acabou!

Depois da desagradável conversa solene, o primeiro impulso é achar que aquilo não vai ser definitivo. Mesmo que você já tenha se livrado das tralhas do ex e o ingrato esteja em outra casa, com namorada e cachorro novos, nosso cérebro tende a se recusar a acreditar que tudo terminou. Foi pensando nisso que o roteirista de Sex and the City, Greg Behrendt, e a mulher dele, Amira, escreveram o livro Quando Termina É Porque Acabou - Juntando os Caquinhos e Dando a Volta por Cima (Rocco). Eles sustentam a teoria de que, se um dos dois chega ao ponto de pedir a separação, as chances de um segundo round bem-sucedido são (quase) nulas. "Acabou por algum motivo e, mesmo que você esteja na fase de negação, bem lá no fundo já deve saber qual foi esse motivo. O seu relacionamento, apesar de promissor, deixou de ser a coisa certa para um de vocês, ou para os dois. Acabou, de fato", escreve Greg. Agüente firme e vá para a próxima etapa.


2. Espalhe a notícia

Uma forma prática de se convencer de que os seus votos de amor eterno foram para o brejo é contar para todo mundo que se separou. Isso inclui amigos em comum, família, vizinhos, atendente da padaria, dono da banca de jornal, carteiro e quem mais estiver dando sopa. Quanto mais você se ouvir dizendo que está solteira, que não estava dando mais certo, que está se sentido aliviada, mais rápido vai botar o salto alto e sair do desespero. "É engraçado, mas na fase de pós-separação você acaba se tornando o centro das atenções. Todo mundo a-do-ra uma fofoca e quer descobrir por que o seu casamento terminou. Não falta gente interessada em sua história. No fim do dia, eu ficava até com dor de garganta de tanto contar o meu drama", conta a artista plástica Luisa Leite, 34 anos, separada há um ano.


3. Você pode tudo

Oba, começou a parte boa! Basicamente, o jogo é fazer com calma tudo o que o seu ex achava chato e entediante. Mude todos os móveis da sala de lugar, pendure os badulaques fofos que ele tanto odiava, convide as amigas para passar a tarde inteira na sua casa, vá ao cabeleireiro sem hora para voltar, enfim, faça todas essas delícias que não costumam ser possíveis quando se divide a vida com alguém do sexo masculino. Stella Florence, autora de O Diabo Que Te Carregue! (Rocco), livro baseado nas suas experiências pessoais pós-separação, dá algumas boas ideias para a fase do faça-o-que-bem-entender. "Passar mais de dez minutos procurando filmes na locadora sem que ninguém fique emburrado e praguejando: você pode. Parar num shopping de descontos e fuçar algumas estantes: você pode. Decidir, subitamente, almoçar frango de padaria sem ter que ouvir seu ex dizer que não está afim de comer aquela coisa engordurada: você pode", ensina. Liberdade, liberdade, abra as asas sobre nós!


4. Decrete a abstinência de reencontros

É aquela arapuca: o namoro/casamento acaba, mas o ex-casal, por hábito ou teimosia, insiste em continuar mantendo uma relação - péssima, claro. Um dos melhores conselhos do livro Quando Termina É Porque Acabou diz para você ficar 60 dias sem falar com seu ex. Segundo os autores, esse é o período de distância emocional necessário para a recuperação completa. O argumento é imbatível: "Você não voltaria todos os dias para um emprego do qual tivesse sido demitida só para se sentir incompetente, voltaria?", perguntam eles. E nessa fase, querida, vale todo tipo de egoísmo. O que você, afi nal, tem a ver com o fato de ele querer continuar sendo amigo? Ele que arrume outras amizades em salas de bate-papo, em balcões de bar ou lá no inferno.


5. Convoque as bad girls

Sabe a sua turma de faculdade de que seu ex não gostava? E aquelas amigas de balada que ele nunca engoliu? Pois agora é a hora de reativar a agenda ou fuçar no Facebook para achar esse povo. O terapeuta de casais e sexólogo Amaury Mendes Jr. garante que essa é uma boa forma de dar a volta por cima. "Ligue para as amigas que ele achava que eram má influência para você, saia com elas, procure dicas de lugares divertidos, forme novos grupos", recomenda. Só não é muito aconselhável seguir a cartilha da Britney Spears e ser flagrada por aí com o figurino incompleto!


6. Não desperdice energia

Certo, todo mundo sabe que sentir raiva é ruim. Mas, neste momento tão peculiar da sua vida, ela tem sua utilidade. Joga para a frente, sabe como? Pode reparar: toda vez que você se encontra com o dito-cujo (ainda mais se ele estiver acompanhado), sente uma força esquisita, uma energia que nem sabia que tinha. É o seu corpo sentindo raiva e dizendo que você precisa agir. Então, em vez de jogar aquele vaso de design assinado na parede, aproveite para cair na malhação. "Quando ele sai, você corre para a esteira. Caminha 50 minutos na velocidade 4.7, nunca dantes alcançada. Depois, faz exercícios com pesos para braços e glúteos", escreve Stella Florence em O Diabo Que Te Carregue. E ainda sobra pique para dar uma geral na cozinha e varrer a sala, garante ela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário