Total de visualizações de página

quinta-feira, 15 de março de 2012

BATOM VERMELHO

Já se faz alta as horas.
Sozinha me encontro,
e sozinha caminho pela casa, que mais parece  um castelo de tão grande e vazia.


A noite faz isto, a solidão o silencio, tudo fica muito pesado...


Corro para o  quarto e tranco a porta
Tento deixar do lado de  fora a solidão que quer me invadir.


Retiro minha roupa  peça a peça, e quando nua busco  um banho quente para relaxar e poder dormir.


Enrolada em num chambre de seda branco sento  em minha cama.


Olho minha bolsa que se encontra sobre a poltrona e me lembro que havia comprado o batom vermelho que você me pediu.


Um  batom vermelho, uma cor  que eu  nunca havia usado,
mas você me pareceu tão desejoso em me ver com um batom vermelho que resolvi te agradar.


Caminhei até a poltrona peguei a bolsa deitei-a no chão , sentei-me despojada deixando minhas pernas a mostra e com um espelho que arranquei de dentro da bolsa me miro.


Me olho, e suavemente abro o batom que se desponta teso e num vermelho  intenso em minha frente.


No espelho vejo meu olhar  triste refletido.
Tive a sensação de que este teu desejo já não mais existe.


E com o coração apertado, um nó na garganta e e uma lágrima presa por um fio , eu trago a imagem da minha boca para o espelho.
Sim minha boca  refletida  num espelho frio e impessoal,
um espelho que não vai me dizer o quanto o excito com os  meus lábios vermelhos.
E com a ponta do batom  toco  minha boca que me faz suspirar de desejo.
Desejo de que aquele momento fosse  um ritual em sua frente.


Que aquele batom fosse seus dedos acariciando meus lábios
e que aquilo fosse o inicio de um longo e ardente beijo.


Quem dera aquele batom vermelho provocasse em você os mais
loucos desejos, uma fúria de amar, de me possuir.


Ah batom vermelho porque tinhas que me atormentar esta noite, 
que por si já se faz longa e dura?


Comprei um batom vermelho e aqui estou ,eu e o meu batom...
E você onde andará?

Nenhum comentário:

Postar um comentário