Total de visualizações de página

quarta-feira, 15 de maio de 2013

KORINA BRINCOU COM FOGO



Korina se debate para voltar do sonho, mas parece que seu espirito esta preso...
Ouvia os gritos aflitos da aborígine, tenta responder mas não consegue voltar.
Olhou aflita para a mãe que não a via e buscou desesperada encontrar uma forma de retornar.
O corpo de Korina deitado entre as folhas suava frio, sua pulsação enfraquecida, seus lábios estavam brancos como cera.
Então a aborígene assustada saiu correndo para pedir ajuda na tribo, não podia deixar Korina morrer ali.
O tempo passa e Korina continua sua luta para voltar da regressão.
De repente ela consegue acordar..está assustada, atordoada e tonta.
Mas mesmo assim ela se levanta e sai da caverna que se encontrava.
Caminha perdida por entre os matos, sem noção de onde esta. 
Korina caminhou por tempo que não sabia somar, até que cair desmaiada.
Seu corpo longilíneo de curvas definidas de pele bronzeada e macia encontrava-se a merce do tempo.
E por ali permaneceu horas, dias ...não sei.
Eis que um andarilho que passava por ali avistou o corpo.
Assustado, ressabiado e encantado com a visão que aquele quadro lhe ofertava.
Se aproximou e tomou o pulso de korina, que ainda batia fraco, mas permanecia viva.
Rapidamente ele retirou da sua mochila uma manta para aquecer o corpo de Korina.
Molhou seus lábios ressecados, alinhou seus  longos cabelos negros, limpou sua pele e tentou reaviva-la. 
Korina se mexe, mostrando reação. O andarilho então prepara um caldo quente e faz Korina tomar.
Ela então cai agora num sono regenerador.
Encantadora, o que faz uma jovem linda assim sozinha no meio do nada? Pensa o andarilho enquanto prepara uma área para acampar, já que teria que prestar socorro e saber mais sobre esta moça perdida numa floresta. 
Enfim após tudo ajeitado ele pegou um violino e começou a tocar bem baixinho uma melodia suave e melancólica. A noite já está caindo o céu escurece logo na floresta, os pássaros já se recolheram a e lua se mostra faceira e preguiçosa no céu.
Korina abre os olhos ao ouvir a musica que vem do violino e fica encantada sem entender o que estava se passando...
e ao se mexer ela chama a atenção do andarilho  e seus olhares se cruzam, os olhos negros e misteriosos de Korina  mergulham no grande lago azul dos olhos do andarilho.
Um vento forte corta o momento como um doce encantamento.



Nenhum comentário:

Postar um comentário