Total de visualizações de página

sexta-feira, 22 de junho de 2012

POSSO TE CHAMAR DE MEU AMOR?

Bom dia meu amor,

HOJE eu acordei com o sol batendo em minha janela.

Os pássaros cantavam anunciando uma nova aurora.
Minha cama macia me mostrava a paz presenteada numa linda noite de sono.
Meu lençol me deixou a vontade mau me cobrindo expostando-me ao mundo dos sonhos.
Minhas pernas espreguiçam-se maliciosamente por alguns segundos.
Me levanto e puxo a alça da camisola que cai suavemente ao chão.
A passarela imaginária que me conduz ao banho se delineia em minha frente, tendo o espelho como
expectador, a ducha de agua morna se mistura ao perfume do sabonete que percorre suavemente minhas partes,
mantendo-me dentro de um mundo de recordação.
Minha mente divaga por terras onde só meu lobo conseguiu percorrer.
Meu roupão felpudo me abraça sorvendo as gotas de agua que transporto.
Ele me faz recordar dos teus braços quando me envolveram após a nossa primeira tarde de amor.
Fecho os olhos e tento prorrogar esta sensação.
Um arrepio me faz querer prosseguir...então pego meu creme e começo lentamente a lamber meu corpo.
Quase consegui sentir o gosto da sua boca na minha boca.
Roço levemente a lingua nos lábios numa tentativa de senti-lo novamente.
Meus seus se enrijecem!
Um calor percorre minha espinha dorsal, e sinto em minhas lembranças seu abraço mais forte e seu corpo procurando o meu.
Nos encaixamos anatomicamente como sob medida. recosto-me na poltrona e entrego-me as lembranças.
Sua respiração se faz mais forte porem controlada sem esconder o brilho da noite em seus olhos.
Numa sincronia nossos sussurros e gemidos regiam a intensidade do momento.
Bocas, beijos, braços e abraços, hora calmos hora frenéticos...até explordirmos juntos como fogos de artificios,
colorindo um céu de prazer. E então adormeci envolta em seus braços , dentro das lembranças que meu roupão
felpudo me transportou.

Posso te chamar de meu amor?

Nenhum comentário:

Postar um comentário