Total de visualizações de página

domingo, 12 de fevereiro de 2012

QUANTO TEMPO A VIDA ME RESERVA?



Bom dia meu querido diário...quanto tempo eu não te abro.
O cheiro de guardado me mostra o quanto te abandonei, me desculpa  meu amigo.
O coração desta loba precisou caminhar como um andarilho pela vida em busca de respostas que você não tinha para me dar.


Deixei pra trás este meu quarto, refugio da vida.
Deixei pra trás o espelho que me exibia mas também  nada dizia.
Fui buscar nas estradas da vida a resposta que precisava.


Confesso que  não foi fácil, mas também quem disse que um dia foi ou seria ?
Senti falta dos meus cremes me lambendo o corpo.
Senti falta da minha camisola de sede acariciando minha pele  e deixava meus seios rijos.
Senti falta do meus banhos de sais, dos óleos, das pétalas de rosa...


Senti tanta falta!
Meus lençóis e travesseiros que me davam tanto carinho e que no entanto começou a ser pouco diante do que eu queria da vida.
De repente comecei a ver a vida passando e tendo tão pouco tempo para desfrutar.
Meu quarto ficou pequeno demais, e minha vida sem sentido.
Mas aqui estou eu em busca do meu cantinho novamente.


Chego cansada.
Chego atrás deste colo que deixei, atrás deste pequeno mundo que já não me bastava.
Que hoje eu vejo este meu mundo como  meu mundo , sabe porque?


Porque eu vi que lá fora que  o mundo não  é de ninguém.
As pessoas andam como um zumbi. Ninguém te olha nos olhos, ninguém te estende a mão, ninguém te sorri.
Por todo canto do mundo todos falam a mesma língua, .e esta língua é de difícil entendimento.
A linguagem universal é o dinheiro. 
Você vale o quanto tem.

Então eu voltei...
Porque aqui eu não preciso viver como eles.
Minha pele dourada pelo sol, meus cabelos sedosos, minhas curvas do corpo tecem o meu mundo único.
Aqui eu posso não ter uma felicidade plena, mas a paz só aqui encontrei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário